Presente do meu amor

"O valor das coisas não está no tempo em que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis." Fernando Pessoa

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

No silêncio da espera

O fardo que carrego

É pesado

Mas o suporto com alegria

Sei o quanto é difícil

Ter alguém


A minha vida sempre foi solitária

E isso me incomoda

Perdi tempo

Estivesse com você

Já seria feliz


Apesar dos nossos desencontros

A cada encontro

Me sinto renovado

A esperança de dias melhores

Renasce em meu peito


A sua bela face

Seu corpo alvo

Seu cabelo

Sua boca

São tentações

Minhas fraquezas


Declaro meu amor em linhas tortas

Por vezes mal escritas

E te mostro

Mesmo que por escrito

O quanto te amo

2 comentários:

Oásis!! disse...

Passei pelo seu cantinho e adorei o que vi!!!
parabéns esta lindo !!!amei podemos trocar ideias se quizer!!! Sandra Costa

Chris disse...

Muito lindo, fala do fardo, gosto dessa palavra pra expressar peso.
No silêncio da espera... é realmente uma arte, ora dói, ora enfada-se, ora pesa, como falaste... mas tu levas com alegria, pq fardos são trocados, dia a dia, como o encaramos.

Bjs, muito bom