Presente do meu amor

"O valor das coisas não está no tempo em que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis." Fernando Pessoa

sábado, 31 de janeiro de 2009

Quando te vi


Sempre me tranco

Sozinho

Com meus problemas

E os resolvo apenas em minha mente


Na verdade

Todos os meus problemas são um

Solidão


Uma tristeza

Da qual tento fugir

Mas levo sempre comigo

Fico pelos cantos

Me machucando

Me debatendo

Sem resolver


Não sei o que fazer

Busco outras opções

Que não quero

E delas fujo também


Fito rostos alegres

Nas lágrimas que caem

E formam espelhos

Onde vejo o que não quero


Teu olhar

Fitando-me

Sem saber

Que é de você que eu fujo

Quando estou trancado

Para fora da escuridão

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Desejo incontido


Te beijo avidamente

Parece que será o último beijo

O desejo é forte demais

Para eu medir o quanto te quero

Te abraço com força

Você que estava tão relutante

Finalmente se entrega

Se livra do falso moralismo


Se nós temos esse desejo

Porque contê-lo?

Quero te amar plenamente

Sem freios

Sem amarras

Por inteira


Tiro sua roupa tão afoito

Que até rasgo sua lingerie

Finalmente desvendarei os segredos do seu corpo

Que todo esse tempo foram inatingíveis

E você que até então estava toda quieta

Já começa a se soltar

E me beijar com mais vontade


Nos entregamos ao desejo

E como paga por essa entrega

Temos o momento sublime do êxtase

Nem eu e nem você esperávamos que fosse tão intenso

Olho a nossa volta e vejo a bagunça que deixamos

Roupas espalhadas, um abajur quebrado

Marcas de unha e de mordidas

Uma dor gostosa de prazer


Mas o mais importante

Te vejo, tão perto

E tenho a certeza que o amor é recíproco

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Tarde chuvosa

O que é a nossa vida

Senão um monte de desculpas

Que usamos para magoar quem amamos

E cada vez mais deixamos de enganar

Para enganar a nós mesmos


O que é o amor

Senão uma reação química

(Nem sempre espontânea)

Às vezes motivada ou às vezes forçada

E nem sempre por motivos dignos


O que são palavras

Senão algumas sílabas que juntamos

E que deveríamos usar para alegrar

Mas somente fazemos magoar

Usando-as conforme a natureza humana


O que sou eu

Senão um ingrato com o amor que tenho

Pois como todos não quero quem está ao meu alcance

Mas sim um sonho distante, meio fantasioso

Para que seja cada vez mais forte o desejo

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Meme - Desafio

Recebi esse Meme da Madrasta Má - http://amadrastama.blogspot.com/ - e é bem um desafio mesmo...

Regras:
1. Escolher um cantor, dupla, grupo, como quiser;
2. A cada pergunta feita temos que escolher um título de uma música;
3. Nomear outros blogs para repassar o desafio.


Minhas respostas ...
Grupo escolhido: The Smiths

1. És homem ou mulher?
This charming man (Este homem encantador)

2. Descreve-te:
Heaven knows I'm miserable now (O céu sabe que eu estou miserável agora)

3. O que as pessoas acham de ti?
Never had no one never (Nunca teve ninguém)

4. Como descreves o teu ultimo relacionamento?
Pretty girls makes graves (Garotas bonitas fazem túmulos)

5. Descreve o estado atual da tua relação:
I want the one I can't have (Eu quero aquela que eu não posso)

6. Onde querias estar agora?
London (Londres)

7. O que pensas a respeito do amor?
That joke isn't funny anymore (Essa brincadeira não é mais divertida)

8. Como é a tua vida?
Last night I dreamt that somebody loved me (Noite passada eu sonhei que alguém me amava)

9. O que pedirias se pudesses ter só um desejo?
Please, please, please let me get what I want (Por favor, por favor, por favor deixe-me conseguir o que eu quero)

10. Escreve uma frase sábia:
Some girls are bigger than others (Algumas garotas são maiores que as outras)



Então... as próximas vítimas serão:

http://introducingjoyce.blogspot.com/ - Joyce

http://lobadefrance.blogspot.com/ - Lobba

http://maedocaio.blogspot.com/ - Tati

Formas de amar

Quero teu amor como um todo

Não me contento com o pouco

Que tem a me oferecer

Quero-te plena e a me querer


De nada adianta que me ame

Pela metade, sem a vontade

Sem o desejo que eu tenho

E quero ver correspondido


Já me culpei pelos seus erros

Hoje vejo que os erros são meus

Pois eu que te amei demais


E cobrei, como tivesse eu o direito

O mesmo amor que carrego em meu peito

Sendo que me ama do seu jeito

No silêncio da espera

O fardo que carrego

É pesado

Mas o suporto com alegria

Sei o quanto é difícil

Ter alguém


A minha vida sempre foi solitária

E isso me incomoda

Perdi tempo

Estivesse com você

Já seria feliz


Apesar dos nossos desencontros

A cada encontro

Me sinto renovado

A esperança de dias melhores

Renasce em meu peito


A sua bela face

Seu corpo alvo

Seu cabelo

Sua boca

São tentações

Minhas fraquezas


Declaro meu amor em linhas tortas

Por vezes mal escritas

E te mostro

Mesmo que por escrito

O quanto te amo

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Lição de amor

Ele queria acordar mais tarde hoje, não ter tantas obrigações, que fosse por um dia apenas. Mas sabe que isso não é possível, sua missão é árdua, afinal são três bocas para alimentar. A jornada se inicia cedo, tem que preparar o café da manhã das crianças antes de acordá-las, deixar tudo em ordem, aí então é aquela luta para tirá-las da cama, trocar de roupa, escovar os dentes, tomar café, se preparar em tempo de ir para a escola no horário.

Ele chega a pensar alto:

- Não sei até quando vou agüentar!

Nem percebeu que a pequena Ana estava acordada e observando o esforço paternal. Nesse momento ela vai até o pai, pega na mão dele e de um jeito que só a inocência de uma criança de 5 anos permite, diz:

- Eu vou te ajudar, papai.

Esse homem até então de feições ríspidas, com aquele ar cansado, abre um sorriso. Ele que nem lembrava mais o que era sorrir, riu gostoso daquilo. Por um instante esqueceu de tudo, dos trabalhos, da responsabilidade, do horário da escola. Nesse momento ele só queria aproveitar a vida, ficar com os filhos, ser pai de verdade, poder abraçá-los e contar estórias. Sentiu saudades da esposa, por que morreu tão jovem? Sem poder ver os filhos crescerem? Mas nada iria entristecer esse homem agora, ele redescobriu o que era a felicidade.

E como uma tempestade de verão que precipita de repente assim foi o choro dele, forte. A pequena Ana então se surpreende, nunca tinha visto o pai esboçar qualquer emoção, e o abraça com força e diz:

- Num chora não, papai, tudo sempre vai dar certo. A mamãe sempre ajuda a gente lá do céu.

Esse homem então pega a filha no colo, não como estava acostumado por obrigação de levá-la em algum lugar, mas para simplesmente dar carinho a ela e vê que de nada adianta só fazer o necessário para os filhos, ele tem que ter essa troca de carinho. E isso o transforma.

Ele então decide que hoje não vai trabalhar, as crianças não irão à escola e que hoje ele vai aproveitar o dia com seus filhos. Um passeio no parque, uma brincadeira na rua ou simplesmente ficar em casa contando estórias e fazendo brincadeiras.

Ele sabe que isso vai ter um custo, vai ser o desconto do dia que não vai trabalhar, um passeio como esse tem um gasto que ele sabe que o orçamento vai ficar apertado, mas isso não o preocupa. Que ele tenha que fazer mais algum bico para compensar esse gasto, os filhos dele têm o direito de ter um momento de prazer, de receber um pouco de carinho.

Como tudo que faz, mais uma vez não é por ele, faz isso pelos filhos. Mas dessa vez quer fazer certo, não é só alimentar e cuidar, ele quer que os filhos aproveitem um pouco. E com isso não percebe que ele é quem vai mais aproveitar esse momento, que os filhos precisam de um momento com o pai bem como o pai precisa de um momento desse, de paz e de amor.

E pensar que toda essa revolução começou com um simples pensamento, que sem querer escapou pela boca, que ele tanto censurou quando viu sua caçula olhando para ele. Realmente, algumas vezes temos de mudar radicalmente o rumo de nossa vida, sermos um pouco inconseqüentes.

Em um futuro não muito distante esse homem verá que esse dia fez muita diferença. Seus filhos aprenderam com o pai o que é amor e carinho, e por isso não caíram no mundo da marginalidade, se dedicaram aos estudos e são ótimos profissionais, cada qual em sua área. O próprio pai passou a se valorizar mais, quis estudar para conseguir empregos melhores e assim poder oferecer mais aos seus filhos, como realmente conseguiu.

E disso tudo ficou uma lição para todos e algo que eles nunca mudam, uma vez por semana eles se reúnem e passam o dia juntos, esquecendo de seus problemas e preocupações, sendo somente uma família.

A apenas um passo

Isso passa, tudo passa
Até essa vontade de por um fim
De que tudo tenha um fim
Que a dor vá embora

O medo é não te ver novamente
Ficar sozinho onde quer que eu vá
Ir atrás da tão sonhada paz e não achá-la
E minh’alma sofrer, então, eternamente

Me falta coragem para isso
Mas cada vez vou mais perto
E olho para baixo e não parece tão alto

São os teus lábios que me seguram aqui
Sem fazer força me impedem de cair
E assim me mantêm junto a ti

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Esperando pelo seu amor

Soa como fosse amor
Mas não é
Amor implica reciprocidade
O que não acontece comigo

Eu amo, e muito
Mas não recebo isso de volta
E espero pelo momento
Que você vai me amar

Nunca vai chegar esse momento
Isso eu sei
Mas não perco as esperanças
De te ter novamente

Tenho de aprender a lidar com a dor
Pois te esquecer é impossível
Te amarei por todo o sempre
Mesmo que seja feliz com alguém

Quero sair daqui

Quero sair daqui, ir para bem longe. Mas o longe não existe, pois você está perto do meu coração, aliás, por todo o meu corpo, e sempre! Queria não passar por isso, não me envolver com ninguém, principalmente com quem não posso. Mas a vida não é justa, e muito menos o cupido é meu amigo. Só me resta sofrer o que eu tenho de sofrer e ser feliz pelo momento que der, ou deu.

Mesmo longe de você não consigo pensar em outra pessoa, em alguém que possa me fazer feliz. Você dominou minha mente e meu corpo de uma forma que nunca havia acontecido antes. E eu deixei...

Nunca tentei lutar contra o que fez/faz comigo. Desde sempre você mandou, dominou e eu, como um bom cãozinho obediente, segui tudo o que me disse. Acho que só não vou fazer o que me manda se um dia me pedir para te esquecer.

Eu já tentei. Te esquecer, arrumar outra pessoa, ser feliz sem ser com você. Mas nada deu certo, tudo que eu faço me traz de volta ao início, me traz a você!

Numa última tentativa, escrevo essa carta, para que eu pelo menos externe, mais uma vez, o quanto te amo. Só depende de você ficarmos juntos para todo o sempre, já que por mim já estamos.

Ernani Netto

15/12/2008

Olhando para frente

Preciso de um tempo

Para mim

Para refletir, pensar

Ver o que eu quero fazer

Esfriar a cabeça


Tenho tanta coisa para fazer

E quero tudo ao mesmo tempo

Só que não tenho a paciência

Para resolver uma coisa por vez


Preciso me acalmar

Botar a cabeça no lugar

Pensar sem pressa

Mas não pensar muito

Quem muito pensa deixa de agir

E quem não toma atitudes

Perde o que tem

E o que poderia ter


E eu sei que tenho muito a ganhar

Mesmo que me custe perder

Algumas coisas por ora

Tenho de olhar para frente

E visualizar o que eu quero conquistar

domingo, 25 de janeiro de 2009

Homens, tolos!

Nós, homens

Tolos que pensam saber da vida

Achamos que temos as mulheres em nossas mãos

Quando na verdade somos as marionetes delas

Simples brinquedos

Usados para satisfação delas


Nos esforçamos tanto para conquistá-las

Achando que nós as temos

Mentira!!!

Nós é que somos hipnotizados, seduzidos

Pelas mais belas criaturas que existem na face da terra

Mas que sabem de seu poder de conquista e de dominação


Como fossemos importantes

Tentamos nos vangloriar do que temos

E nos “mostrar” para os outros

Enquanto as mulheres

Nosso objetivo

Nem dão a mínima atenção aos “idiotas”


Mas também não aprendemos isso na escola

Pelo contrário

Achamos que somos os seres dominantes

E isso não é machismo

É a melhor definição de feminismo que eu conheço

Pois nos faz escravos delas

Quem deve prover tudo é o homem

E dessa forma fazemos de tudo pelo bem estar delas


Eu espero que mesmo sabendo disso tudo

Continue sendo aquele que faz de tudo para agradá-la

Seja o seu brinquedo, sua diversão

O seu homem, seu menino

sábado, 24 de janeiro de 2009

Nossa casa (Paixões)

Desfaço a mala ainda preocupado. Olho para o relógio. Procuro no bolso o número do telefone. Continuo abismado. Como aquela loira me dominou. Tento esquecê-la. Acho o número. Pego o telefone. Está ocupado. Não consigo esquecê-la. Ligo para o celular. Ela atende. Finge que não se lembra. Ou não se lembra mesmo.


Marco um encontro. Ela se esquiva. Insisto. Insiste ela. A amo. Digo isso. Consigo. Droga, não lembro um lugar legal. Falo para ela escolher. Escolhe. Concordo. Vou. Casa dela. Rola um clima. Campainha toca. A amiga dela chega. Fico perdido. Não esperava. Ela me beija. Gosto. A amiga me beija. As duas conversam. Fingem me ignorar.


Ameaço ir embora. Fico. Não consigo pensar. Quero beijá-la. Quero beijá-las. A amiga se oferece. Minha cabeça gira. Não quero. Amiga insiste. Nego fogo. Ela insiste. Quero ela. Falam para eu escolher. Escolho ela. A amiga chora. Beijo a amiga. Transo com ela. Descanso. Me sinto realizado. A amiga ainda masturba-se. Admiro.


Fico assustado. Elas se beijam. Adoro isso. Pergunto se é a primeira vez. Não respondem. Fico bravo. Me olham. Pergunto novamente. Respostas inesperadas. Transam elas. Transamos nós. Vou embora. Minha casa. Fim de tarde. Trânsito. Poluição. Marginais roubando. Ainda estou atônito. Amo-as.


Chego em casa. Ligo a televisão. Toca o telefone. É ela. Me ligou. Quer sair. Estou cansado. Preciso dormir. Ela insiste. Saímos. Barzinho. Estou tonto. Estou bêbado. A amiga chega. Bebo mais. Motel. Um buraco. Minha casa. Casa da amiga. Casa dela. Nossa casa...

Meus caminhos

Trilho esse longo caminho que nos separa

Buscando o teu rastro

Indo atrás da tua fulgurante beleza

Que o meu caminho ilumina

Estás longe, distante

E eu não consigo alcançar-te

Mas não desisto

Tento olhar para os lados

Mas está escuro e só te vejo

Indo embora

Grito teu nome

É inútil

Não me ouves

Meu coração sofre

Minhas pernas fraquejam

Caio, me levanto, insisto

Hei de te alcançar

Preciso de ti

Mas tu não se cansas

E estás ficando longe

Estou cansado do escuro

Mas tu não me ilumina

És distante, impossível

Mas persisto

E então te vejo perto

Mas estou cansado

Desfaleço vendo-te ir

Sumindo da minha vista

Minha busca acabou

Eu morri

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Te amar sem pressa

Quero me aninhar em seu peito

Ser o alvo de seus carinhos

E te acariciar toda também

Ser feliz

Te mimar com meus beijos


Te abraçar sem hora

Te amar sem pressa

Esquecer de tudo

Só pensar em você


Sentir teu calor

Sentir prazer

Te fazer feliz

Fazer planos para toda a vida

Querer envelhecer junto


Um amor para sempre

Conto de fada

Quem disse que não pode acontecer?

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Mesmo que por um instante

Teu olhar

Me deixa sem palavras

Sem ação

Sei o que significa

Sou teu brinquedo


Sou usado

E depois abandonado

Um traste

Que só tem serventia para te alegrar


Tudo em função do seu bem-estar

E aceito

Como fosse isso bom

Para mim


Só para te ter por perto

Mais um pouco

Mais um instante


A dor que sinto

Quando não está aqui

É tão intensa

Que prefiro sofrer

Desenganado

Só esperando que volte

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Toda minha

Beijo avidamente sua boca

Minha língua trava uma batalha com a sua

Qual proporciona maior prazer?


Já te imagino nua

É automático, inconsciente

Minhas mãos se encarregam de transformar

O que penso em realidade


Te acaricio com desejo

Teu corpo é meu templo do prazer

E quero ficar em comunhão

Um só corpo

Um só prazer


Te possuo com paixão

De todas as formas que a situação permite

Com todas as variações possíveis


Por um momento penso

“Pena que isso acaba”

E me controlo para prolongar o prazer


Com a certeza do seu êxtase

Trato de te agradar

Num momento de carinho pós-sexo

E tenho a convicção de que você é a mulher da minha vida

Escravo

Oh minha senhora, faz de mim teu escravo

Vassalo teu, sou apenas um apaixonado por ti

Por teus olhos, que de tão compenetrados

Não vêem que admiração tenho desde que te vi


Oh minha princesa, livra-me das correntes

Que me prendem longe de tua boca

Então fico aqui, esperando doente

Doente de amor, que não é coisa pouca


Oh minha Deusa, faz-se humana

E com minha tristeza termina

Mas não seja mundana


Oh minha amada, seja a minha mina

Fonte de inspiração onde beberei a beleza que emana

Pois sei que tu és minha sina

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Mulheres

Quando toco a tua pele

Sinto um desejo profundo

Mas sei que não nos pertencemos

Somos de outras pessoas

Maldita hora em que começamos a namorar

És mais bonita e inteligente

Te amo mais e longe demais estou

Mas por que não acontece nada?

Somos traídas

E quando nos abraçamos

Pensamos estar erradas

E estamos

Deveríamos nos amar sem medo

Sem preconceito

Nosso amor é tão lindo quanto os outros

E normal

O que há de errado em amar

Esta vontade de beijar-te

Sou punida agora por gostar

Mas sempre nos incentivaram o contato

E agora que quero

Estou errada

Gosto do meu namorado

Mas amo a ti

E estamos separadas

Por um simples motivo

Somos amigas

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Pensando em você

Daqui onde estou consigo te ver

Ao longe, é verdade

Mas já satisfaz um pouco

Esse desejo louco que eu tenho de você


Parece loucura, insanidade

Provavelmente seja mesmo

Mas o que é o amor senão uma loucura por alguém?


Tento te esquecer todo o tempo

Mas é só porque não paro de pensar em você


Já tentei apagar suas fotos

Parei de te ligar

Mas você está impregnada em mim

Ficou marcada em meu corpo

Até seu cheiro eu sinto


Preciso me concentrar

Pensar em mim

Lembrar de você, sim

Mas não só em você


Tento te esquecer todo o tempo

Mas é só porque não paro de pensar em você

Fuga para lugar nenhum

Quero sair

Na verdade preciso sair

De perto de você

Parar de sofrer


Ver gente diferente

Com vontade de viver

Talvez até alguém

Que me ame


Mas não saio de perto

Fico implorando migalhas

Esmolas do teu amor

E você até isso me nega


Preciso sair

Dessa fossa que é o amor

Dessa prisão sem grades

Mas da qual é impossível fugir


Esse sofrer que trago em meu peito

É a marca de que sou seu

Como fosse uma tatuagem

Talvez até fique fraca

Mas nunca se apagará por completo


Preciso sair

Ir longe

Mas de que adianta?

A dor que trago comigo

Não se afasta


Mas mesmo assim

Quero sair

Para quem sabe

Você me procurar


Preciso sair

Talvez me perdendo

Eu te ache

Ou pelo menos ache alguém

Que valha a pena amar