Presente do meu amor

"O valor das coisas não está no tempo em que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis." Fernando Pessoa

domingo, 4 de outubro de 2009

Eu só queria ter do mato...

Música linda baseada em um poema mega bacana.

Pode até ser meio brega, mas é linda demais!

Bjaum





Canteiros
Fagner
Composição: Fagner / sobre poema de Cecília Meireles

Quando penso em você
Fecho os olhos de saudade
Tenho tido muita coisa
Menos a felicidade

Correm os meus dedos longos
Em versos tristes que invento
Nem aquilo a que me entrego
Já me dá contentamento

Pode ser até manhã
Sendo claro, feito o dia
Mas nada do que me dizem me faz sentir alegria

(Refrão 2X)
Eu só queria ter do mato
Um gosto de framboesa
Pra correr entre os canteiros
E esconder minha tristeza
E eu ainda sou bem moço pra tanta tristeza ...
E deixemos de coisa, cuidemos da vida
Senão chega a morte
Ou coisa parecida
E nos arrasta moço
Sem ter visto a vida

É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É um caco de vidro, é a vida, é o sol
É a noite, é a morte, é um laço, é o anzol
São as águas de março fechando o verão
É promessa de vida em nosso coração.

3 comentários:

Menina Robô disse...

Que nada amigo,
o Amor não é brega,
é chique!

uahuHUAHaaa

Beijos Saudosos sumido!

Niny

J. Araújo disse...

Fiquei afastado algum tempo e que bela surpresa. Você com um novo blog, isso é ótimo meu amigo. Com certeza fará tanto sucesso quanto o outro.

Abraço

Aline DIVÃ DA MULHER disse...

Vou falar que meu lado brega é louco pelo Fagner..adooooro!